Pesquisar Matérias


Desesperado após ter seu cachorro roubado, ele oferece seu carro para quem conseguir encontrá-lo

Variedades


"Meu cachorro simplesmente não tem preço para mim, não sei viver sem o Falucho", diz o jovem argentino. Oferecendo seu carro, o único bem que possui para quem encontrar o querido animal.

"Falucho é um cão muito amado, não há a menor possibilidade de ele ter escapado de casa e fugido", disse o rapaz.

A perda ou roubo de nosso animal de estimação pode ser um momento realmente estressante e devastador para aqueles que desenvolveram um relacionamento que, como já dissemos em outras ocasiões, é o elo por excelência de amor, fidelidade, compaixão e confiança.

Somente aqueles que têm um animal de estimação sabem que apenas olhando para seu cachorro ou gato, ou qualquer outro animal, com uma atitude e carinho protetores, uma simbiose maravilhosa é gerada por toda a vida.

Para Carlos Quiroga, um homem da cidade argentina de Hilario Ascasubi, seu cachorro, Falucho, é o ser mais importante em sua vida.

O animal foi um presente de seu pai, que morreu alguns anos atrás. Desde que o filhote tinha pouco mais de um mês, isso foi a seis anos.

Desde então, Falucho compartilhou sua vida com Carlos, tornando sua solidão mais suportável, após a morte de seu pai, o que os tornou uma dupla inseparável.

Eles moravam, dormiam, comiam, brincavam e caminhavam juntos. Não havia hora do dia em que não estivessem juntos.

A cada dia que passava, o vínculo entre os dois se estreitava ainda mais, tornando-se mais poderoso e tornando-se, de fato, um exemplo de amor e dedicação para todos que os conheciam.

A amizade deles parecia ter saído de um conto de fadas.

É que a morte de seu pai deixou um profundo vazio na alma desse jovem que, apesar de ter o apoio de sua família e amigos, acima de tudo, foi resgatado do abismo da depressão em que estava, graças ao amor e dedicação de Falucho.

No entanto, esta bela história, assim como moedas têm duas faces e uma delas é sombria.

Em um dia fatídico, Carlos chegou a sua casa como de costume e viu com horror que Falucho não estava em lugar algum. Incrivelmente, seu melhor amigo havia desaparido sem deixar vestígios.

Desesperado, Carlos procurou seu animal de estimação de cima a baixo do seu prédio, atravessou o bairro inteiro, a cidade inteira, sem resultados positivos de encontrar o paradeiro de seu pequeno animal.

"Eu não sei se eu posso viver sem o felucca. Ele é tudo para mim”, lamentou o jovem.

Toda a procura parecia inútil. Portanto, Quiroga tomou a extrema decisão de oferecer seu próprio veículo, que obteve com tanto sacrifício, a qualquer pessoa que pudesse ter alguma informação ou devolver o seu filhote.

Entrego este carro, que é a única coisa que tenho, para que possa me dizer quem tem meu cachorro. Ele foi roubado da minha casa. Com que necessidade? Para que finalidade? Eles me destruíram com a falta do meu cachorro, porque eles não vieram me pedir um bebê antes de roubá-lo de mim?" escreveu ele frustrado em seu facebook.

Embora ele não tenha certeza se sua estratégia funcionaria, Carlos não perdeu a esperança de ver Falucho novamente e continuou fazendo o que pode para recuperar seu parceiro.


Sabemos que bens materiais sempre podem ser substituídos. Amor, carinho e até a dependência saudável que é estabelecida entre uma pessoa e seu animal de estimação, NÃO.






***



Adaptação de Texto: Vida que Importa


Fonte: https://www.zoorprendente.com/