Pesquisar Matérias


Cadela na cadeira de rodas é abandonada e acorrentada ao portão

Chega de Maus-tratos!


Uma cadela com paralisia nas pernas foi encontrada abandonada na cidade de Salta, na Argentina.

Ela estava em sua cadeira de rodas, acorrentada a um portão de um cabeleireiro, com um pacote de fraldas e um bilhete com seu nome e idade. No papel também dizia que a pessoa que a havia deixado, não tinha condições de mantê-la.

A mulher que a encontrou, rapidamente contatou a entidade de proteção dos animais da cidade e os voluntários foram até o local buscar a pobre cadelinha.

Quando chegaram, ainda perceberam que não havia água ou comida. Ela estava completamente assustada e muito fraca.

Foi então que eles começaram a espalhar a história de Lunita, nome da cachorra, em busca de um novo lar.

Para surpresa de todos, uma família dos Estados Unidos, que estava na Argentina, apareceu para adotá-la. A cachorra, então, viajou para os EUA com sua nova família.

Eles descobriram que Lunita havia desenvolvido uma séria infecção de estafilococos no trato urinário, o que causou tinha que causado lesões e sarna.

A cachorra estava sem pelo, da cintura para baixo, incluindo o rabo. Todo esse sofrimento ainda a fez perder 15 quilos, deixando-a quase desnutrida quando foi localizada.

Felizmente, a nova família fez de tudo para curar suas feridas e dar início à sua recuperação.

Enfim, Lunita se curou após visitas ao veterinário, tratamentos médicos e muito amor. Ela chegou a recuperar 25 quilos após o tratamento da doença.

Com a generosidade de amigos e várias doações pela internet, a nova família conseguiu custear todas consultas e o tratamento considerado caro.

Mesmo curada da doença, ela já estava bem velhinha e fraca, e alguns meses depois, voltou a ficar debilitada, dessa vez por conta da idade e precisou ser internada novamente.

Foi quando Lunita precisou partir.

Mesmo com a tristeza da família, pela perda, eles todos preferem lembrar dos bons momentos que vivenciaram juntos e da vida feliz que Lunita teve em seus últimos dias.

“Nós demos muito carinho e muito amor para ela, até seu último dia”, conta emocionada a dona da cachorra, que a resgatou e cuidou de sua doença.

Na comemoração do seu último aniversário, os familiares lembram que teve direito a um lindo bolo e uma festinha, que ainda contou a participação de outros dogs.

“Eu sinto que uma parte da minha alma morreu. Eu nunca vou esquecê-la e o quanto ela significou para mim. Ela mudou minha vida para sempre. Eu a amava muito”, escreveu sua dona.

A Lunita chegou ao fim por causa da velhice, mas ela conseguiu viver feliz e levou felicidade a todos até nos seus últimos dias.



***



A que ponto chega o ser humano.. Parabéns a essa família pela bondade e compaixão, que afina, lhe deram seus melhores dias, últimos na verdade, mas ela conheceu a felicidade. Uma vida que importa que teve um pouco de dignidade finalmente. (MárciaSchmian)




Fonte: https://temlondrina.com.br/