Pesquisar Matérias


Caso Bruce: Moradores se reúnem em protesto contra morte de pitbull em Mirassol

Notícias Animal


Um policial militar aposentado foi gravado em vídeo matando um cachorro no meio da rua, com uma barra de ferro e golpes de facão em Mirassol, São Paulo. O caso foi registrado pela Polícia Civil da cidade na manhã desta quinta-feira (31/10).

Diante disso, moradores revoltados se reuniram na noite de sexta-feira (2) para pedir justiça pela morte de "Bruce".

De acordo com a Polícia Militar, cerca de 300 moradores participaram da manifestação. A casa do suspeito foi pichada e apedrejada. Um boletim de ocorrência foi registrado pela corporação por vandalismo.

O Caso: Imagens de segurança mostram o momento em que o animal é agredido (31/10). O pit bull, segundo o homem, teria sido morto por supostamente ter atacado seu cachorro de estimação.

Uma testemunha que preferiu não ser identificada com medo de sofrer represálias passava pela Avenida Eliezer Magalhães no momento em que as agressões aconteceram.

"Eu pensei que fosse uma pessoa adestrando o cachorro. Quando me aproximei, percebi que era um homem matando. Ele estava armado com facão, lança e outros objetos. Ele foi com a intenção de matar", afirma a mulher.

Depois de presenciar a cena, a mulher seguiu o homem até a casa dele e tirou diversas fotos. O cachorro precisou ser sacrificado por causa dos graves ferimentos que sofreu.

"Meu filho passou mal e perdeu a aula por causa da cena que viu. Eu acho muito injusto. Não tinha necessidade de ter feito o que fez", diz a testemunha.

No dia em que a morte do cachorro foi registrada, o homem alegou à polícia que estava caminhando com o animal dele pela Avenida Eliezer Magalhães, quando foi atacado pelo pitbull, que estava solto na rua.

Ele fugiu do ataque e foi para a casa onde mora. No entanto, ao sentir falta do celular, voltou ao local armado com um facão, uma barra de ferro e outros objetos. Segundo ele, foi atacado novamente pelo animal e revidou com golpes de facão e barra de ferro.

A polícia abriu um inquérito para investigar a cautela do animal, que não deveria estar solto na rua como determina a lei, e a conduta do homem que matou o cachorro.

O suspeito foi foi liberado depois de prestar depoimento e alegar ter se defendido dos ataques do cachorro. A Polícia Ambiental lavrou um auto de infração e aplicou uma multa no valor de R$ 6 mil.

A dona do cachorro afirmou em entrevista à TV TEM que o animal escapou da casa da família enquanto o irmão dela tentava entrar no imóvel, na noite de quarta-feira.

"A gente começou a procurá-lo, mas não encontramos. Hoje, nós tivemos a notícia de que ele havia sido agredido até a morte. É uma situação tenebrosa, porque a pessoa que fez isso tem cachorro e deveria ter amor próprio", afirma a enfermeira Rosineide dos Santos Costa, dona do cachorro.

De acordo com Rosineide, o cachorro não apresentava comportamento agressivo e convivia diariamente com crianças.

"Ele era dócil. Estamos horrorizados pela situação que ocorreu. A cidade inteira está assustada com o que o homem fez com ele", diz a mulher.




Na minha opinião: este caso precisa ser apurado com muito rigor, pois, no vídeo o cachorro parecia mais um meninão assustado e perdido do que uma fera pela qual foi descrito.




Texto Adaptado: Vida que Importa


Fonte: https://manausalerta.com.br/